Viajar na Espanha de carona

(ATUALIZADO EM 17 DE AGOSTO/2015)

Aquela clássica cena que faz qualquer mãe ter um treco: a filha (ou o filho) na beira da estrada com o braço levantado e polegar indicando o caminho para pedir carona. Ainda bem que em pleno século XXI a internet faz esse papel e deixa a situação mais segura.

A questão do carpooling na Espanha vem ganhando muita força. É um misto de sustentabilidade, crise e praticidade.

Em 2013, quando fomos ao Festival SOS 4.8, em Múrcia, acabei pesquisando maneiras de ir e acabei encontrando os sites de Carpooling. No fim, acabamos indo de ônibus com a empresa De Festivales, que presta um serviço específico para festivais pelo país, como eu contei nesse post.

Mas agora em julho, quando fomos a Monegros e ficamos sem carona a dez dias do evento, decidimos nos cadastrar em um desses sites e ir de carona. As vantagens eram duas: o preço e o fato de ter um carro onde poder deixar as coisas. Isso era bem importante porque o festival ficava no meio do deserto, ou seja, quando chegamos fazia um calor horrível, mas no meio da noite esfriava um pouco, então queríamos ter um lugar onde deixar um moletom e coisas do tipo, além de poder negociar com o dono do carro sair pra descansar.

Nossos amigos da carona

Nossos amigos da carona

Nos cadastramos no Amovens e fomos. A experiência foi bem bacana porque o pessoal que dividiu o carro com a gente era gente boa, ficamos umas duas horas fazendo botellón (o famoso esquenta) quando chegamos e a viagem foi tranquila. Claro que sempre há o risco de as pessoas serem chatas, mas tenho a sensação de que a maioria das pessoas que decidem dar ou receber carona está aberta para conhecer gente nova.

O carro foi fundamental pro botellón no meio do deserto!

O carro foi fundamental pro botellón no meio do deserto!

Esses sites têm várias vantagens. Uma delas é que você pode ver a avaliação de outras pessoas sobre aquele motorista ou carona. Assim, dá para viajar mais tranquilo, sem medo de ir com um louco! Acho que teria receio de ir sozinha, mas minha colega de trabalho já foi umas três vezes e adorou a experiência. Para quem viaja sozinho pode ser uma boa maneira de conhecer gente e, caso role uma empatia, ter companhia no destino. Além disso, é o condutor que estabelece quanto quer cobrar, então costuma ter alguns bem baratos.

Além disso, para quem mora em Madrid há bastante oferta, assim dá para se ajustar aos seus horários. Para completar, o preço costuma ser bom, porque é o motorista quem estabelece quanto cada passageiro deve pagar- e normalmente ele não visa nenhum ganho, só pagar os custos (gasolina+pedágio).

As páginas de carpooling funcionam não só para festivais, mas para qualquer tipo de viagem. Você só tem que colocar a data da viagem e os pontos de saída e chegada. No final de semana, a oferta sempre é maior, principalmente saindo de Madrid. Isso porque tem muita gente que mora aqui por conta do trabalho e/ou faculdade e volta para casa nos finais de semana.

Só para ter uma ideia, fiz uma simulação de viagem de Madrid a Barcelona, saindo no dia 04/09 (sexta-feira) e voltando no dia 06, ou seja, uma viagem de fim de semana. Os resultados foram:

– de avião, as passagens mais baratas custaram 95 euros ida e volta com companhias low cost.

– de ônibus, as passagens mais baratas custam 55 ida e volta (mas a viagem leva, no mínimo 7h50)

– de trem, cerca de 100 euros ida e volta – é possível custar bem mais.

– de carro, o mais barato que achei no BlaBla Car foi 60 euros.

Há vááárias opções de site de carona. Basta dar um google em “compartir coche” que elas vão aparecer. Das que eu vi, a que me pareceu a melhor foi o Blabla Car porque no perfil de cada pessoa aparece, por exemplo, se ela aceita fumantes, se aceita animais, se ouve música e quer bater papo, além da avaliação feita por outras pessoas.

Alguém aí já teve essa experiência?

Anúncios

6 Comentários

  1. […] das opções de transporte para quem deseja ir a festivais são os sites de carona, que eu já testei e achei uma experiência […]

  2. Eu já usei o BlaBlaCar várias vezes e já tive tooooodo o tipo de experiências: uma senhora que passou toda a viagem daqui até à Galiza a falar de penicos, um carro que quebrou a meio da noite, gente muito simpática, produtores de televisão, gente caladinha, “vizinhos de trabalho”, etc etc etc…
    No geral eu gosto muito desta opção e aconselho!! 🙂

    1. Susana, morri de rir lendo teu comentário! Como assim, penicos??? Não quero nem pensar como vcs entraram nesse assunto, rs. Escreve um post sobre essas histórias, rs!

      1. Imagina uma combi… completamente cheia de pessoas e com ar-condicionado que não funciona. Já começamos bem!
        A senhora começou a falar de alguém (não sei quem) que tinha uma colecção de penicos das mais variadas formas, feitios e “idades”! Ahahaha
        Foi muito divertido, principalmente porque chegou a um ponto em que já ninguém queria saber dos penicos, mas por respeito/vergonha ninguém lhe pediu que se calasse, então ela continuou… e continuou… e continuou… ahahah

      2. Mas ela era a motorista?? Viajar de kombi… que aventura!

      3. Não… ela era passageira… e ia ao meu lado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: