Brasileiros que moram no exterior: ame ou odeie?

Quando você vai morar fora, especialmente se é algo temporário e para aprender o idioma, todo mundo te diz: “não faça amizade só com brasileiros”, “faça amigos estrangeiros”. Eu mesma sempre faço essas recomendações e tento aplicá-las à minha vida aqui na Espanha. Mas também é praticamente inevitável fazer amigos da mesma nacionalidade: dá saudade e tem momentos em que você sente que só um compatriota te entenderia, mesmo que existam quilômetros de distância e diferenças culturais importantes separando um paulista de um mato-grossense ou um gaúcho de um baiano e por aí vai.

Mas é aquilo, você faz amizades com brasileiros, um leva o outro, seu círculo vai se expandindo… até que chega em um momento para pensar que muitas dessas pessoas não tem praticamente nada em comum com você a não ser o fato de ter nascido no Brasil! As percepções sociais, políticas, culturais… tudo é diferente!

E muitos brasileiros que moram fora podem se encaixam em duas “categorias” que eu detesto. Não me levam a mal, é claro que tem muitos brasileiros que vivem em outros países e são muito legais, mas esses dois perfis me irritam muito e você provavelmente já encontrou um deles por aí!

– “Os deslumbrados”

Sabe aquele pessoal que vai morar fora e acha que tudo no país adotivo é perfeito? Pois é, essas pessoas são muito chatas! Elas se orgulham de tudo que há de bom no novo país e são incapazes de ver o lado negativo. Moro na Espanha e amo esse país, vejo muitas coisas ótimas aqui, mas sei também que está longe de ser perfeito (assim como o Brasil ou qualquer outro, na verdade): há muita corrupção, há extrema-direita, há preconceito e racismo. O país passa por uma crise econômica séria e não há muitas expectativas para os jovens, que em muitos casos emigram para outros países da Europa. Existe burocracia e informação desencontrada, especialmente se você é estrangeiro.

Mas os deslumbrados acham que a Espanha é perfeita: que não há falta de educação, que tudo aqui é lindo e perfeito. Eu entendo que muita gente talvez tenha vindo de uma situação difícil no Brasil, mas ainda assim basta abrir os olhos e olhar com atenção para ver que a Espanha ainda tem muito a avançar em muitos aspectos.

A frase mais famosa desses brasileiros é “isso só acontece no Brasil”. Não! O “isso” acontece no mundo inteiro e, quando você vem morar aqui, acaba percebendo que muitas situações absurdas também acontecem aqui.

– “Os pseudo-nacionalistas”

Esses são o extremo-oposto dos brasileiros mencionados acima, eles amam o Brasil acima de todas as coisas e são capazes de criticar absolutamente tudo do país de adoção, nesse caso, a Espanha: falam mal da comida, da política, do clima, dos espanhóis, das empresas, de tudo. Nada da Espanha é bom ou, pelo menos, não tão bom quanto no Brasil. Aqui, as generalizações são do tipo “todos os espanhóis são fechados, mal-educados”, as empresas não são tão boas como no Brasil, que a crise é culpa dos espanhóis porque eles são preguiçosos e por aí vai. Grande parte deles nunca se esforçou para ter amigos espanhóis…

O que eu não entendo é como em gente que continua morando aqui mesmo achando tudo tão horrível assim. Ou como tem gente que, mesmo depois de casar com espanhol e ter filhos aqui, consegue sustentar esse tipo de argumento.

– Tanto no primeiro como no segundo grupo, eu vejo um comportamento que não tolero: preconceito e racismo contra imigrantes. Gente, peraí! Antes de falar sobre isso, pense que você também é imigrante! Independente dos seus motivos, você provavelmente também saiu do seu país de origem buscando condições de vida melhores, então é importante ter empatia com quem está chegando agora ou com pessoas que passam por situações ainda mais difíceis, como refugiados ou imigrantes que saem dos seus países por necessidades financeiras!

Esta foi uma das muitas coisas que aprendi por aqui e sobre as quais escrevi nesse post.  Antes de julgar qualquer dos dois lados, ou países, pare e pense! Eu não tenho dúvida de que há muito que melhorar dos dois lados e que se pode aprender muito com a experiência do outro.

Anúncios

11 Comentários

  1. Oi Larissa, é bem por aí mesmo os dois grupos que vc citou. Sabe ,acho que me irrita mais o segundo grupo pq tudo é tão perfeito no Brasil, mas não volta, né?
    Vamos amar, mas sem uma venda nos olhos,como vc disse, coisas boas e ruins encontraremos em qualquer lugar.
    Beijos para vc e para Madrid.

    1. Mônica, ainda não consigo decidir quais dos dois me irrita mais. Conheço gente que passa por uma fase assim quando chega, mas depois começa a se dar conta da realidade. Até aí, tudo bem! Mas depois…. hahaha! Beijão

  2. Isso aí Larissa! Coisa boa e ruim tem em todo país. O importante é a pessoa ter jogo de cintura para aprender a lidar com as diferenças. As pessoas precisam entender que no país dos outros nem tudo que reluz é ouro mas nem tudo que é opaco é carvão, rs!!!
    Beijos
    Blog Querido Deus obg por me exportar!

    1. Exatamente, Gisley! 😀

  3. hahaha adorei este post, acho que onde você for vai ter problemas então devemos abrir os olhos e aceitar a realidade não é.
    beijoss

  4. Larissa,
    adorei a categorização: na mosca!!! Mas acho que podemos oscilar entre ser “pseudo-nacionalistas” e “deslumbrados”. E podemos fazer isso no mesmo dia!! Talvez porque tenhamos a sorte de saber o que é ser brasileira e estar se espanholizando … sei lá … as pessoas sao contraditorias.

    mas uma coisa você tem razão absoluta: preconceito não rola!
    e, ah, eu sou imigrante e não expatriada. Sempre falo isso!

    beijo
    Sandra

    1. Sim, acho que todo mundo passou um pouco por essas fases e nos dias de burocracia espanhola, eu acho que tudo no Brasil é lindo! Mas sustentar essas percepções depois de anos vivendo aqui… aí é difícil.

      Você leu um artigo do Guardian sobre expatriados x imigrantes? Bem interessante.
      Beijo

      1. qual é o artigo?
        quero ler!!

  5. Nossa super concordo. Ainda acho que o segundo grupo não nacionalista e sim não adaptado. Tem muito brasileiro que faz da Espanha o Brasil e não se mistura ou se adapta ao novo país e aos costumes. Eu mesmo, no começo, fiquei com um pé lá e outro aqui. Mas já tenho os dois pés aqui. Dos dois grupo, desteto, com toda certeza, o primeiro. Aqui tb é bem complicado e está longe de ser perfeito.

    Beijo.

  6. renata maria · · Responder

    CADA CASO É UM CASO, MOREI NA ESPANHA, CANÁRIAS, FUI COM UM BOM TRABALHO JÁ ME ESPERANDO, COORDENAVA UMA ESCOLA DE SURF E SÓ TRABALHAVA COM TURISTAS DE ALTO NÍVEL. TUDO DE ÓTIMO. FOI ÓTIMO PARA MEU ESPANHOL E MEU INGLÉS, GANHAVA BEM, PORÉM…ERA 2008 E COMEÇAVA UMA CRISE HORRÍVEL NA EUROPA, VI MUITOS IMIGRANTES E MESMO OS ESPANHÓIS PERDEREM EMPREGO, BENS, O CAOS, ERA O COMEÇO DA FALÊNCIA DO MESMO SISTEMA QUE ESTÁ FALINDO HOJE NO BRASIL. QUANDO TERMINOU O VERÁO EU FIZ MEUS CÁLCULOS E CHEGUEI Á CONCLUSÁO QUE FICAR SERIA BURRICE, TROCAR FIGURINHAS POIS A VIDA NA EUROPA É CARA, OU VC DECIDE FICAR PARA FAZER A VIDA E SE SUJEITAR ÁS DIFICULDADES OU TRABALHA MUITO NUM CONTRATO BOM , NÁO GASTA COM NADA POIS PASSEAR E CURTIR NA EUROPA É CARO, E VOLTA COM UMA GRANA. CHEGARAM A ME OFERECER UMA GERÊNCIA DE UMA LAVANDERIA BEM LEGAL, MAS MESMO ASSIM, AS CONTAS NÁO FECHAVAM COMO EU QUERIA. PREFERI VOLTAR AO MEU PAÍS, ONDE TENHO LIVRE ACESSO Á TUDO SEM PRECISAR BATER CARTÁO E SER MONITORADA E NA VERDADE, EU GOSTO MUITO DA ALEGRIA DO POVO BRASILEIRO, MESMO SOFRIDO, MAS NÁO PERDE A ALEGRIA. SENTI FALTA SIM DA ORGANIZAÇÁO , DA INFRA ESTRUTURA, TUDO FUNCIONA, PORÉM NÁO É PERFEITO, TAMBÉM TEM ROUBO, VIOLENCIA, A TV ABERTA É UM LIXO, EU GOSTEI MAIS DE CONHECER PESSOAS CULTAS E COM EXCELENTE CONTEÚDO, HISTÓRIAS DE VIDA, CULTURAS DIFERENTES, APROVEITEI PARA ACRESCENTAR CONHECIMENTO, MAS POR MAIS QUE TENHAMOS DUPLA CIDADANIA, SEMPRE SEREMOS MEIO INVASORES NOS PAÍSES DOS VIZINHOS. NÁO RECLAMO DAS AMIZADES QUE FIZ, NÁO TIVE CONTATO COM BRASILEIROS, FUI MUITO BEM TRATADA E RESPEITADA, MAS MEU PAÍS É MEU PAÍS, EU AMO O BRASIL E TENHO ORGULHO DE SER BRASILEIRA, ACHO QUE SER PATRIOTA É FICAR E LUTAR POR UM BRASIL MELHOR. ACHO MEIO NADA A VER MORAR FORA E FICAR PENDURANDO BANDEIRA DO BRASIL NAS CASAS, TORCENDO PELO BRASIL NO FUTEBOL, SE REALMENTE AMA O BRASIL, FICA E LUTA PARA UM AMANHÁ MELHOR, AFINAL…TOOODOS OS PAÍSES DO MUNDO TEM SEUS PROBLEMAS MAS ELES FICAM E LUTAM PARA MELHORAR, ISSO É SER PATRIOTA.

    1. Oi, Renata! Obrigada por compartilhar sua experiência!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: